Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2007

A verdade é mesmo essa, expectativas zero.... é interessante quando há pessoas em que tens zero expectativas e em que nada nos surpreende nelas. Zero, nada, niente ...em que tudo o que sai delas é exactamente o que tens em mente e pensas..."o mesmo filme"..."que triste"...

Foi o que me aconteceu e realmente pensei..."Não me estou nada a importar com isto"...

se há coisa que aprendi é que os sentimentos desvanecem e o que fica são as recordações, mas o tempo passa e o natural é que tudo mude, o tempo, as cidades, os espaços, as pessoas e as mentalidades...mas estranho é quando isso não acontece. Como é que é possível não mudar? Será que a vida é tão vulgar que não haja nenhum acontecimento que marque? Será que ao contrario das leis da evolução da natureza estes seres não descartam qualquer coisa na tentativa de melhorar, e reparem bem eu disse tentativa...

Penso que ser espectador de tais series da vida é um pouco...chato, aborrecido, enfadonho...

Ouvir frases e quase conseguir acertar no minuto exacto em que vai ser dito, e giro giro é mesmo ver as pessoas se enterrarem de bosta até ao pescoço.

 Ai há dias dias pensava eu "... quase que te consigo imaginar na velhice, com uma secura tal de sentimentos, onde o que só restam são sobrinhos e sorrisos amarelos, onde o teatro é tanto que já merecias um Oscar e ainda te vi fechar a porta de casa quando as visitas saem e em seguida resmungares uma cambada de palavras de desdém, porque agora já ás dizes só ".

No meio de tais pensamentos houve dois mais marcantes, um onde cabia a palavra tristeza e o sentimento de pena, outro onde colocava a questão: será que mataram a criança?

 

 

Aviso de amiga, não mates a criança dentro de ti....

 

 

Talvez hoje não compreendam, ou até possam não vir a compreender, ou se calhar até tem noção, mas há sempre duas escolhas na vida e nem sempre se deve tomar o caminho mais fácil . Bem sei que este caminho é cheio de altos e baixos, sei também que é necessário muito mais do que tenho para chegar ao fim do caminho, mas ao longo do tempo comecei a detestar o pensamento Português , o tal do desculpa lá, o tal do ignora, o tal do à é mesmo assim, não é defeito é feitio...chega...não não é mesmo assim e o baú das desculpas chegou ao fim, bateu no fundo e está cheio de traças.

 

 

Por isso e por ultimo digo assim, se não tens nada de agradável para dizer....CALA-TE.

sinto-me Consciente e com pena de TI
música Os foguetes do ano novo

publicado por sashablog às 09:45 | link do post | comentar | favorito

Só mais alguns...
mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

Brisa Fresca

Umbigos de metro e oitent...

News from algarve

Coisas de Natal

Tatto

Que desnaturada...

I'm Back (great news)

O meu lugar ao sol

Sem Férias

O visitante do 3º andar

arquivos

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

tags

80's

a

alien sono

amor

anos

aprende

arte

axim

bebe

boxe

cala-te

campanha

carpe diem

casamentos

cegonha de paris

chupa-me

criança

de

desesperadas

dois

dotado

é a millllllliii

emoção

falhas

feliz

gelo

gordo

jane oli

jovial

lê o papelinho

mafarrica

maldição

moni

muda

multí coloré

nada

nariz vermelho

news

old

on carvon

papelinho

peixe

quim

revolta das chicas

rugas

rules

sardines

saudade

tatto

to be

toca

toni

tres

um

vamos dançar

velho

vida

wop

world press photo

todas as tags

links
blogs SAPO
subscrever feeds